No meio da noite fria

Desde que ele se foi;
voltei a ter crises de insônia.
Melatonina. Rescue Night.
Acordo no meio da noite fria.
Sozinha. Cama vazia. Sem aquele abraço.
Agora sei que ele não é o amor que eu procurava.
Outros amores; reencontros.
A vida segue o ritmo.
Ainda sinto alguma falta daqueles dias;
nos quais o sono era tranquilo;
e os dias mais leves.

Porta Retrato

Final de tarde de um feriado no meio da semana.
O porta retrato vazio na estante do corredor escancara toda essa falta.
Por um momento achei que seria você.
Que seria forte o suficiente para preencher esse vazio.
Que seria diferente para aguentar este fardo que sou.
A solidão assola.
Tua presença é que me faz falta.
Quando os dias eram mais leves
e os finais de semana eram doces.
A vida começou a amargar;
mas o “show de todo artista tem que continuar”.
O tempo é cruel.
Distância.
Tão longe.
Tivemos tão pouco tempo;
tantos sonhos ainda por realizar:
a viagem que planejamos fazer;
aquele seriado na Netflix que não terminamos de assistir.
Será que não se importa mais?
As lembranças começam a se tornar turvas:
nada mais do que alguns flashes.
Cansei de insistir, mas…
o meu peito ainda aperta, quer voltar;
e você insiste em se afastar.

Tempero

Domingo
Entardecer
Sozinha neste apartamento
Acordo de um sono agitado
O tempo é cruel
Da janela do 601
A cada segundo as cores se modificam no horizonte
A vida não dá trégua
O céu fica mais escuro
E meu peito sufoca de não saber
Respiração curta. Acelerada
Você ainda não sabe desse meu sentir em demasia
De calcinha de renda e camiseta de algodão
Me viro de lado – e não tenho mais seus braços
Me encolho como quem se esconde
Tento me proteger
Esquecer
Desse dia
Sem tempero
Sem desejo

A última noite

Aquele adeus da última noite;
a casa bagunçada;
fios de cabelo soltos pelo chão;
A última noite de amor;
os últimos beijos;
quando você puxava meus cabelos com certa violência e eu ainda me desmanchava em seus braços.

A cama desarrumada
o lençol amassado;
confesso que me falta coragem para trocar as fronhas;
meu quarto ainda tudo tem o cheiro do nosso suor;
o gosto e o ardor desse amor.

O gosto que era doce e ficou amargo;
a presença que virou falta;
a saudade que ficou maior que o desejo;
o amor que não aguentou.