Tempo

Mais uma semana. Mais dias suportando. As obrigações tomam conta. Sexta. Forró. Rock. Mas não tem aquele jazz. Nevertheless…
Que espécie de falta é essa que ainda incomoda todos os dias?
Você canta e toca. Eu escrevo para sufocar sentimentos e desejos.
A morte chega perto. Assola. Tudo é tão pequeno.
Sábado. E ainda perdemos tanto tempo…

Anúncios

Ainda é você

A saudade corrói mais uma noite. Toma conta. Abro aquele último vinho que estava guardado. O excesso de pensar ainda é minha briga. Luto a cada minuto contra sentir demais. Dia e noite. “Can’t you see I’m a mess without you”?
Tem aquele que quase ocupou esse vazio, mas decidiu ir embora. Tem o que tentei, mas nunca amei.
E tem você.
“It had to be you”. I used to think.
Eu tento. Nego. Disfarço porque já conheço o final desse filme.
Não vou mudar pra ter você. Não posso. Minha verdade é forte demais.
Mas quanto mais distante mais vontade.
Quando mais longe, mais quero.
O corpo não nega. Não sabe suportar. Deseja. Incendeia.
Arrepia. Transforma. Grita. Arde.
E ainda é por você.

Bruxa

Eu queria me esconder de todo excesso do mundo. Queria me ver livre de sentimentos e desejos fast food.
Me cobria para me aquecer, mas procurava o frio como um cão farejador. Me escondia do verão porque ainda amava o inverno.
“The cold never bothered me anyway”. Da princesa que se sentia sozinha e amava bibliotecas àquela que congelava tudo à volta.
Com você eu entendi que nunca fui a mulher que poderia transformar o sapo em príncipe.
Eu era só mais uma.
Não a princesa do final feliz. Talvez a bruxa.
Mais um estepe.
Mais um corpo quente na cama.
Mais uma perna se abrindo.

Faminta

Pareço bem.
Invisto. Brinco. Seduzo cada um que me cruza o caminho.
Finjo.
Cada dia um martírio. Cada noite de insônia um fracasso. Falho miseravelmente. Nessa decisão de me manter distante. Longe sim porque foi assim que escolheu. Distante ainda é muito para o que sou capaz.
Armo essa fortaleza para enfrentar o mundo, mas a cada segundo você é a minha fraqueza.
O corpo grita esse vazio. Essa falta.
Exausta de me doar tão completamente.
Desejo. Fome. Insaciável.
Não consigo nem olhar para o espelho,
Olhar para mim é ver você.
Meu corpo ainda é faminto de ti.